Conheça Ciciretti, o camisa 10 do Benevento que é ‘melhor que Totti’

Ciciretti do Benevento

Na primeira rodada do campeonato italiano, o mundo do futebol foi oficialmente apresentado a Amato Ciciretti, o camisa 10 do Benevento que, apesar do bonito gol, não conseguiu impedir a derrota para a Sampdoria por 2×1, na primeira rodada do torneio.

Mesmo assim, torcida e imprensa italiana já adotaram o jogador como protegido, muito em razão do personagem caricato que ele apresenta. O posto, que já pertenceu a nomes como Gattuso e Vieri, este na época que formou dupla com Ronaldo, hoje tem e promete manter Ciciretti no centro dos holofotes por muito tempo.

Nascido em 1993, o jogador italiano foi revelado pela Roma e passeou por diversos clubes pequenos da Serie B. Não permanecendo mais do que um ano em cada time, Ciciretti encontrou firmeza no Benevento, no qual chegou para a temporada 2015-2016 e ajudou a equipe a subir para a Serie A nos play-offs.

Ciciretti, o jogador de futebol

Como dito anteriormente, o camisa 10 vive sendo emprestado desde o início da carreira. O auge ocorreu quando esteve vinculado à Roma (daí a brincadeira geral por ser melhor que Totti). De acordo com a Calcio Fanpage, o clube da capital o dispensou por não aprovar seu caráter, além de ele ser fumante.

Na campanha do acesso, ele participou de 15 gols, sendo 9 assistências e o autor de outros 6. Falando de títulos, ele venceu Copa Itália e um campeonato italiano, ambos em divisões de base, a chamada Primavera.

Ciciretti, o fanfarrão que tatuou o próprio perfil do twitter

Ao buscarmos pelo seu perfil no Wikipedia, encontramos a seguinte descrição: “jogador italiano que joga pelo Benevento. Seu corpo é coberto de tatuagens” e mais nada. Curiosa, sucinta e peculiar, a descrição omite um fato importante: uma das imagens é o seu próprio perfil no Twitter.


No dia que criou sua conta na rede social, desafiou os seguidores a conseguirem 500 retweet e, caso alcançassem a meta, ele faria a tatuagem do logotipo. Dito e feito. Hoje ele tem mais de 40 tatuagens espalhadas pelo corpo. Uma delas é o pássaro azul do Twitter, seguido do @Ciciretti.

Um fato curioso sobre ele é que, caso não conseguisse virar jogador, seguramente trabalharia na empresa de construção do pai. Em entrevista, já disse que preferia muito mais acreditar em metas impossíveis, como jogar no Barcelona.

Comentários

Comentários