Roberto Baggio: “o pênalti contra o Brasil é um mal que não passará nunca”

Baggio Pênalti Taffarel

Na Itália, Roberto Baggio é e sempre será considerado um dos melhores jogadores de todos os tempos. No Brasil, por outro lado, ele ainda é lembrado pelo pênalti perdido na final da Copa do Mundo de 1994. A novidade é que aquele momento icônico do futebol mundial, que deu o tetra para os brasileiros, ainda perturba o camisa 10 da Itália

Eleito o melhor jogador do mundo em 1993, ano que antecedeu a copa, Baggio teve uma carreira vencedora, na qual empilhou taças individuais e coletivas por quase todos os clubes por onde passou no campeonato italiano, como Juventus, Milan e Internazionale. Faltou o mundial.

Tão eternizado quanto o próprio grito de “é tetra!”, de Galvão Bueno, o fracasso ao tentar bater Taffarel entrou na pauta de uma entrevista dada por Baggio ao Corriere Della Sera, na qual ele revela o tamanho e peso do pênalti, mesmo 20 anos mais tarde.

“Foi o único pênalti da minha vida que errei chutando pro alto. Todos os outros que errei foram defendidos pelos goleiros”

Roberto Baggio

Na entrevista, ele também revela admiração por Maldini e uma estranha escolha por um jogador que seria seu herdeiro no futebol atual. Sobre o zagueiro, ele declara “Era forte de cabeça, na direita, na esquerda. Era preciso juntar 15 jogadores para fazer um como ele”.

Outro fato que muitos desconhecem é a versão torcedora e admiradora de Baggio pelo Boca Juniors. Aliás, foi lá que o italiano descobriu e elegeu seu sucessor: Centurion! Sim, o argentino que já vestiu a camisa do São Paulo é o eleito de Baggio, mas, em suas palavras, “precisa melhorar fora de campo”.

Já sobre o fatídico dia da perda do pênalti, o craque foi perguntado sobre os detalhes daquele lance e daquela partida. Baggio, com enorme sinceridade, contou:

“Ainda não encontrei sentido para aquilo. É a mesma amargura de 1994. Ela não diminuiu. Não vai passar nunca, acho. Mas eu gostaria de reviver aquele momento, porque o percurso foi cheio de significado: pelas dificuldades, pelo caráter e determinação com os quais saímos. Reviver aqueles momentos é algo belo.”

Reveja abaixo o pênalti perdido por Baggio com a narração de Galvão Bueno:

Comentários

Comentários